Marcação Consulta
Casos Clínicos
Glaucoma em animais de companhia, um perigo silencioso
2016-09-06
Glaucoma em animais de companhia, um perigo silencioso

O glaucoma é uma doença ocular, na qual a pressão no interior do olho se torna elevada. Esta doença pode causar dor significativa e levar à cegueira. Nos cães e gatos com glaucoma primário ocorre um problema anatómico ou bioquímico que afecta a drenagem do fluido do olho, de modo que o início pode ser espontâneo. O glaucoma secundário ocorre devido a outras doenças do olho que aumentam secundariamente e pressão deste. O glaucoma geralmente requer tratamento para o resto da vida, a menos que a causa subjacente seja detectada e tratada com sucesso.

No interior do olho, um líquido claro chamado humor aquoso circula na câmara da frente entre a córnea e a pupila. O humor aquoso sai do olho através de uma pequena estrutura perfurada semelhante entre a base da córnea e da frente da íris. A pressão normal é uma função dinâmica do equilíbrio entre a produção e a drenagem do humor aquoso. Quando a drenagem não funciona da melhor forma ou fica obstruída a pressão intra-ocular pode aumentar para um nível perigoso. Isto ocorre devido à produção continua de humor aquoso a um nível normal. O glaucoma nunca é causado por excesso de produção de humor aquoso, ocorre sim por um problema de drenagem.

 

O glaucoma ocorre mais frequentemente em cães (0,675%) do que em gatos (0,197%). O glaucoma primário, hereditário, relacionado com a raça é mais comum ser  visto em cães de raça pura. Os gatos têm geralmente glaucoma secundário que está associada com a inflamação crónica da íris (uveíte) ou com tumores intra-oculares. O glaucoma primário em gatos é muito raro, mas Siameses e gatos Birmaneses podem estar predispostos. Mais de quarenta raças de cães diferentes estão predispostas a glaucoma, sendo as mais comuns o Cocker Spaniel, Beagle, Basset, Akita, Samoiedo, Bouvier de Flandres, Shih Tzu e Shar Pei.

 

O glaucoma pode ser uma doença muito dolorosa para animais de estimação - mais do que para as pessoas - como a pressão intra-ocular pode tornar-se rapidamente elevada a níveis muito mais elevados do que geralmente ocorre em pessoas. Nas pessoas, a dor que se sente é comparável a uma constante dor de cabeça. A pressão intra-ocular normal em pessoas é de 12-22 mmHg. A pressão normal para cães e gatos é 10-25 mmHg. No glaucoma em cães e gatos, a pressão pode ir até 30 mmHg ou superior. Valores acima de 50 mmHg podem causar rapidamente cegueira.

 

Um olho afetado pode parecer normal para um proprietário do animal quando o glaucoma é leve. Os primeiros sinais podem incluir um olho vermelho, córnea opaca, pupila dilatada, estrabismo ou olho fechado. Ao longo do tempo, o tamanho do olho pode aumentar e  inchar.

 

Infelizmente, em casos de glaucoma grave, o olho é muitas vezes irreversivelmente cego no momento do diagnóstico. Os animais de estimação podem agir normalmente quando é afectado apenas um dos olhos, esta é a razão por que muitas vezes esta doença é diagnosticada tardiamente.

 

Diagnóstico e Tratamento

 

O glaucoma pode ser detectado através da medição da pressão intra-ocular usando um instrumento chamado tonómetro. A Tonometria pode ser feita pelo seu médico veterinário durante o exame oftalmológico. As pressões são medidas em ambos os olhos e, em seguida, comparadas.

 

Se for diagnosticado um glaucoma, em seguida ,existem  numerosos medicamentos disponíveis para reduzir a pressão. O tratamento do glaucoma exige a aplicação fiel e consistente dos medicamentos. Estes não são medicamentos que podem ser ignorados ou esquecidos, havendo o risco de a pressão ocular poder aumentar rapidamente quando não sã administrados.

 

Alguns casos de glaucoma primário são também tratados com cirurgia. Uma grande ênfase no glaucoma secundário é determinar a causa subjacente e tratá-la, assim como a uma pressão elevada. Se o glaucoma primário é diagnosticado num olho, é comum iniciar medicação preventiva para o outro olho porque ambos os olhos são propensos à doença.

 

A remoção do olho (enucleação) às vezes é recomendada. Os exemplos incluem um olho cego em que o glaucoma não responde aos medicamentos; qualquer olho contendo um tumor; quando é um olho cego e o proprietário não pode pagar os medicamentos para glaucoma ou realizar a medicação ou ainda quando a infecção é a causa do glaucoma e esta não responde bem à terapia apropriada.

 

Prognóstico

 

Na maioria dos casos, o glaucoma não é curável e uma vez que a visão é perdida o animal ficará invisual. Em relação ao glaucoma primário, a visão é muitas vezes perdido ao longo do tempo, mesmo com tratamento adequado. Para o glaucoma secundário, o prognóstico depende da doença subjacente e a sua resposta ao tratamento.

 

HVBA, Setembro de 2016


* Hospital acreditado pela Ordem dos Médicos Veterinários

* Hospital licenciado pela DGAV